Equilíbrio


“Tudo o que é demasiado é moléstia”, e “pão sem sal” também não é satisfatório.


Quando penso em equilíbrio, ocorre-me uma balança, sem números nem medidas quantitativas, apenas dois lados suspensos por um único ponto central.


Quanto à minha área, bastaria falar de um equilíbrio do corpo, já que temos dois lados, dois hemisférios, dois pulmões, dois rins, dois braços, e poderia continuar...



Mas se me permites, vou adicionar algo mais ao equilíbrio, desafiando-te a tornares-te num arquiteto/ engenheiro de ti mesmo.


Quando pensas em equilíbrio o que te ocorre? Para andares equilibrado, precisas mesmo de quê? Surgiu mais que do uma resposta, certo?



Andar equilibrado é isso mesmo, ter na sua proporção todos os pontos que precisamos para isso, sejam eles Felicidade, Amizade, Dinheiro, Família, Profissão, Energia interna/ externa…

Procura refletir sobre esses pontos, monta a tua balança, adicionando os pratos que precisares, nas proporções que achares adequados, e muito importante, permite-te que falhes na equação. Após isso estarás cada vez mais perto da harmonia perfeita.


Quando o Equilíbrio estiver centrado num único ponto, PARABÉNS, tornaste-te o arquiteto/engenheiro de ti próprio, criando um pilar central fortíssimo… TU MESMO!


Especialista em movimento

Tiago Nunes



14 visualizações